Época de Eça de Queiroz

Eça de Queirós viveu numa época rica em novidades. Quando nasceu, reinava D. Maria II. Em 1853, quando Eça tinha 8 anos, morreu a rainha sendo substituída por D. Pedro V. Oito anos depois, após a morte de D. Pedro V, sobe ao trono D. Luís, casado com a princesa Maria Pia de Sabóia. 
 
O jovem Eça tinha apenas 3 anos de idade quando surgem, pela primeira vez, candeeiros de rua alimentados a gás. Na Exposição Universal de Paris, em 1855, aparecem as mais recentes inovações tecnológicas da altura. Em Portugal, no ano seguinte, era inaugurado o primeiro troço de caminho-de-ferro entre Lisboa e o Carregado e o primeiro telégrafo entre Lisboa e Sintra. O papel higiénico é uma invenção (americana) de 1857. 
 
A sua juventude é marcada por alguns surtos epidémicos: cólera (1856) e febre amarela (1857). A emigração para o Brasil aumenta em 1855/6. Quando está na universidade de Coimbra, é fundado o Diário de Notícias (1864) e a linha férrea avança para Norte (até Gaia) e Sul (até Beja).
 
Um ano antes de Eça concluir o seu curso, dá-se a Exposição Universal no Palácio de Cristal, no Porto.